ESPAÇONOTICIASSem categoria

Quer comprar um ônibus espacial? A Nasa vende

Se você está buscando um veículo seminovo no mercado, você consideraria comprar um com mais de 100 milhões de milhas no odômetro, pintura branca pura e um preço de US$ 28,8 milhões? Provavelmente não. E mesmo se você estivesse disposto a pagar um preço altíssimo como este, as chances de sua garagem não comportar uma nave espacial ao lado do cortador de grama são imensas. Mas há alguns dispostos a pagar o preço e, na maioria das vezes, eles têm o espaço também.

O ônibus espacial Atlantis é o primeiro dos três ônibus restantes aposentar-se oficialmente. Até o final do ano, Discovery e Endeavour o seguirão. A pergunta é: onde eles vão se aposentar? “Estes são os únicos veículos espaciais e eles são verdadeiramente exclusivos, disse o porta-voz da Nasa Allard Beutel. “Cada um é um pouco diferente, e eles são as únicas espaçonaves reutilizáveis do mundo. Eu não posso imaginar uma instituição que não queira tê-los para exibição pública”, disse ele à CNN.

Cerca de duas dezenas de museus e instituições dos EUA apresentaram documentos solicitando a posse de uma das máquinas tecnologicamente mais avançadas já construídas – uma jóia para qualquer entidade que pode pagar por ela. “Nós não estamos vendendo, lembre-se. Isto é o que vai custar para limpá-lo, torná-lo seguro para ser apresentado e para ser transportado até o local”, disse Beutel. Ou seja, o preço inclui a remoção de quaisquer produtos químicos tóxicos do ônibus espacial e para levá-lo voando a bordo de um avião de transporte 747 até o local.

Algumas das instituições que fizeram ofertas para ficar com um dos três ônibus espaciais são o Museu do Instituto Smithsonian, em Washington, o Museu Intrepid Sea, Air and Space, em Nova York e o complexo para visitantes do Kennedy Space Center , que fica próximo às plataformas de lançamento na Flórida. A Nasa já destinou o mais velho dos três ônibus, o Discovery, para o museu Smithsonian que já abriga uma extensa coleção do programa espacial americano, incluindo os artefatos das missões Mercury, Gemini, Apollo e a nave de testes Enterprise.

Mas o orçamento do Smithsonian não cobre o preço que a Nasa está pedindo pelo Discovery. “Questões sobre os custos associados à transferência do Discovery não foram resolvidas, embora o museu esteja explorando opções”, afirmou em nota o Smithsonian. E quem cuidará de uma das naves espaciais não só tem de pagar a Nasa e os custos de transporte, a entidade terá também de construir uma unidade fechada, com temperatura controlada para ser a casa delas.

Os outros candidatos a donos dos ônibus espaciais estão ansiosos para ¿explorar opções¿ também e usam os argumentos que têm para convencer a Nasa a conceder algum benefício.

O Kennedy Space Center, por exemplo, não perdeu tempo.”Queremos ter um belíssimo edifício para colocar a nave dentro. Queremos contar a história das pessoas que fizeram com que estes pássaros maravilhosos ficassem prontos para voar,” disse Bill Moore, diretor do museu. “Recebemos visitantes de todo o mundo. Quando eles veem um artefato espacial que voou, se emocionam”, contou.

Em Manhattan, o aposentado porta-aviões Intrepid descansa. O navio poderoso, que uma vez varreu o Oceano Pacífico para pegar astronautas e cápsulas espaciais após o retorno destes à Terra, está ancorado no museu Intrepid Sea, Air and Space que pode também vir a ser a nova casa de um ônibus espacial. “Nós realmente queremos trazer mais olhos que nos for possível para essas obras-primas tecnológica”, disse Susan Marenoff, diretor-executivo do museu .

Marenoff diz que o museu mudaria o jato supersônico Concord, atualmente em exibição, de local para colocar o ônibus no espaço de destaque. O museu espera mais de US $ 106 milhões em benefícios econômicos se conquistar um dos ônibus espaciais.

Mas, talvez todos eles tenham que esperar mais um pouco. Apesar do Atlantis já estar sendo negociado, o segundo ônibus não vai ser tão rapidamente vendido. Ele será preparado para fazer outro voo se necessário, como uma missão de resgate no futuro. Naturalmente, a Nasa espera nunca precisar fazer essa missão. E quando, finalmente, os outros dois ônibus chegarem com segurança à Terra pela última vez, serão preparados para a entrega em perfeitas condições. Bem, quase, disse Beutel, da Nasa. “Em perfeitas condições estaria se não tivesse viajado mais de 115 milhões de milhas em um período de 25 anos.”

FONTE: Terra 

Agência Lelo - Laboratório Criativo
Leia mais...

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Close