CARREIRAENGENHARIA AERONÁUTICA

ENGENHARIA AERONÁUTICA

É o ramo da engenharia que se ocupa do projeto e da manutenção de aeronaves e do gerenciamento de atividades aeroespaciais.

O engenheiro aeronáutico envolve-se no projeto e na construção de todos os tipos de aeronave, como aviões, helicópteros, foguetes e satélites.

Esse profissional é fundamental para a segurança de qualquer voo.

É ele o responsável pelo processo de manutenção, pela realização de reparos e pelas inspeções periódicas da estrutura e dos equipamentos, como asas, motores e fuselagem. Cuida também dos sensores e instrumentos de controle. Além de fabricar aviões, pode gerenciar obras e serviços ligados à infra-estrutura aeronáutica, como a construção de aeroportos, o planejamento de linhas e o gerenciamento de tráfego aéreo.

O mercado de trabalho 

Quem opta pela Engenharia Aeronáutica raramente fica sem emprego. As universidades promovem eventos para aproximar o estudante do mercado de trabalho, como é o caso da Universidade de São Paulo (USP), que há cinco anos organiza a Semana de Engenharia Aeronáutica. No ano passado, ela aconteceu na cidade de São Carlos (SP).

Empresas, como a TAM, e instituições de ensino, como o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), realizam palestras e, em alguns casos, selecionam candidatos para estágio ali mesmo. O maior número de vagas é oferecido pela Embraer, que, no entanto, anunciou no início do ano a dispensa de 4,2 mil funcionários.

Com sede em São José dos Campos (SP), a empresa favoreceu a criação de um conglomerado de indústrias nacionais e internacionais que dá suporte à sua produção, tornando a região o maior pólo empregador do país. Buscando o aprimoramento de seus profissionais, a companhia promove cursos de capacitação de mão de obra em parceria com o ITA.

A procura pelo profissional tende a crescer nos próximos anos por causa dos investimentos, orçados em 3,1 bilhões de reais, que o governo brasileiro direcionou para obras de infra-estrutura aeronáutica, voltados para a modernização de aeroportos e dos órgãos de controle de tráfego aéreo.

Outra oportunidade está em São Paulo, que conta com uma das maiores frotas de helicópteros do mundo e abre vagas para o profissional que fica encarregado, sobretudo, da manutenção de aeronaves e desenvolvimento de projetos. Há vagas ainda nas indústrias espacial e de defesa.

O curso 

Esse é um dos vestibulares mais concorridos do país. Os dois anos de formação básica trazem bastante física, química, matemática e computação. A partir do terceiro ano começam as matérias tecnológicas, como eletrônica e dinâmica de sistemas de controle, além das específicas. Em aerodinâmica, o aluno estuda dinâmica de gases e fluidos.

Em estruturas e materiais, conhece resistência de materiais, cálculo e dinâmica estrutural. E, em mecânica de vôo, aprende dinâmica do vôo, desempenho e estabilidade e controle. Em algumas escolas, o aluno opta por uma área de especialização, no terceiro ano. No fim do curso é obrigatório apresentar um trabalho de conclusão.

Duração média: cinco anos.

O que você pode fazer 

Coordenação de tráfego aéreo Orientar o deslocamento de aeronaves, auxiliando nas operações de decolagem e pouso nos aeroportos e aumentando a segurança dos vôos. Engenharia espacial Projetar satélites e foguetes, defi nindo os dados técnicos necessários a sua construção, a seu lançamento e a sua operação. Manutenção Coordenar a realização de reparos, manutenção preventiva e inspeções periódicas das estruturas, dos sistemas e equipamentos de aeronaves.

Projeto Desenhar a estrutura e os componentes de aeronaves, definindo os materiais e os processos empregados na produção e realizando ensaios e testes antes da fabricação em escala industrial. Sistemas Projetar, construir, testar e instalar motores, instrumentos de controle e sensores em aeronaves. Definir as especificações dos mecanismos que controlam o trem de pouso, a alimentação de combustível e a pressurização da cabine, entre outros.

Apresentação do Curso de Graduação em Engenharia Aeronáutica 

O curso de Engenharia Aeronáutica teve seu início na antiga Escola Técnica do Exército, hoje o Instituto Militar de Engenharia (IME), em 1947. Em 1950 foi instalada em São José dos Campos a atual Divisão de Engenharia Aeronáutica, sendo o primeiro curso do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA).

O curso de Graduação em Engenharia Aeronáutica do ITA forma engenheiros e engenheiras com profundos conhecimentos teóricos e práticos em projeto e construção de aeronaves. Ao longo de cinco anos, o aluno estuda aerodinâmica, estruturas, motores e turbinas, mecânica do voo, além de desenvolver projetos de aviões relacionados a estas áreas. Esta formação permite ao futuro profissional o desenvolvimento de habilidades tanto para o projeto, quanto para a construção e manutenção de aeronaves, assim como para liderar pesquisas tecnológicas e científicas.

O profissional assim formado é procurado por diversas áreas do setor de aviação. O campo em que atua abrange principalmente as indústrias do Setor Aeroespacial e de Defesa, principalmente as fábricas de aviões e helicópteros. Vale a pena lembrar que o Brasil está entre os maiores construtores mundiais de aviões!

Outras importantes oportunidades de trabalho são: empresas de transporte aéreo (de passageiros ou de cargas), empresas de manutenção de aeronaves, fabricantes de peças aeronáuticas, empresas de consultoria e a Força Aérea Brasileira.

Os Engenheiros Aeronáuticos formados pelo ITA possuem capacidade para atuar na fronteira do conhecimento, contribuindo decisivamente com os trabalhos desenvolvidos em institutos de pesquisa aeroespacial. Devido à excelente formação, são também requisitados em empresas aeroespaciais dos Estados Unidos e da Europa.

É preciso que um futuro Engenheiro Aeronáutico goste muito de ciências exatas, de aviões, helicópteros e foguetes, além de se interessar por possuir uma visão holística dos diversos setores em que vai atuar. E, o mais importante: deve sempre acalentar a atração por grandes desafios!

 Atividades Curriculares no Exterior 

É facultado ao aluno realizar as seguintes atividades curriculares no exterior:

– Estágio Curricular Supervisionado
– Matérias em escolas conveniadas

A realização destas atividades são regidas pelos seguintes itens: 

I. Em nenhuma hipótese serão autorizadas Atividades Curriculares no Exterior quando houver Matéria em Dependência a ser cursada.

I.1. Caberá ao Conselho de Graduação, junto com o Professor responsável pela matéria em dependência, analisar a possibilidade da dependência ser cursada até o término do semestre anterior aquele previsto para atividades no exterior.

II. Cabe ao Conselho de Graduação autorizar a realização de Matérias de Graduação no Exterior, para efeitos de equivalência curricular.

III. Somente serão autorizadas matérias em escolas conveniadas com o ITA.

IV. Os alunos candidatos a atividades curriculares no exterior serão avaliados quanto ao:

IV.1. Desempenho escolar no ITA
IV.2. Proficiência na língua estrangeira
IV.3. Conduta ética
IV.4. Participação em atividades extra-curriculares diretamente relacionadas às atividades da IEA (IC, competições etc)

Pós-Graduação em Engenharia Aeronáutica e Mecânica 

O curso de Pós-Graduação em Engenharia Aeronáutica e Mecânica tem por objetivo geral a formação de profissionais a níveis de Mestrado e de Doutorado nas diversas áreas dos campos da Aeronática e Mecânica de interesse direto ou indireto para o Setor Aeroespacial.

As ativiades de ensino e de pesquisa do Curso estão agrupadas nas seguintes áreas de Concentração:

– Aerodinâmica, Propulsão e Energia – PG/EAM-A;
– Mecânica dos Sólidos e Estruturas – PG/EAM-E;
– Tecnologia de Fabricação – PG/EAM-T;
– Mecatrônica e Dinâmica de Sistemas Aeroespaciais – PG/EAM-S;
– Mecânica do Voo – PG/EAM-V;
– Produção – PG/EAM-P.

A matrícula do aluno é efetuada em uma determinada área de Concentração. Em casos excepcionais, desde que os programas de matérias e de tese sejam coerentes e devidamente justificados, o CPG poderá aprová-los a título de “Programa Especial”, sem que este seja enquadrado em qualquer das áreas de Concentração do Curso.

As linhas de pesquisa caracterizam os objetivos específicos das áreas e do Curso.

Mestrado Profissional em Engenharia Aeronáutica – Apresentação

SUMÁRIO 

O Curso de Mestrado Profissional em Engenharia Aeronáutica e Mecânica (PG-EAM) do ITA foi criado para atender demanda de recursos humanos da Empresa Brasileira de Aeronáutica (EMBRAER), com o oferecimento de um conteúdo curricular dedicado às necessidades tecnológicas da empresa. Dentro do contexto do Programa de Pós-graduação em Engenharia Aeronáutica e Mecânica (PG-EAM) do ITA, o MP-EAM oferece especializações dentro das áreas de Aerodinâmica, Propulsão e Energia; Estruturas e Mecânica dos Sólidos; e Mecatrônica e Dinâmica de Sistemas Aeroespaciais.

As principais características diferenciadoras do Programa são: 

As principais características diferenciadoras do Programa são:

(1) suporte financeiro garantido pela EMBRAER, conforme preconizado pela Portaria 80 da CAPES;

(2) exame de seleção altamente competitivo, realizado em diversas etapas em nível nacional pela própria empresa para candidatos formados em engenharia, incluindo seleção curricular entre os aprovados nas diversas provas;

(3) dedicação em período integral por parte do aluno: uma vez aprovado e classificado, o mestrando recebe uma bolsa de estudos através da Fundação Casemiro Montenegro Filho, dedicando-se em período integral ao Programa;

(4) prioridade, por parte da EMBRAER, na contratação do Mestre Profissional para trabalhar na área de especialização para a qual se graduou no programa.

O PG-EAM está credenciado junto à CAPES mediante o Parecer CTC emitido em reunião de 13/14 de março de 2003 e enviado pelo Presidente da Coordenação ao Pró-reitor de Pesquisa e Pós-graduação do ITA através do OF. /CTC/CAPES No.57/2003, datado de 24 de março de 2003.

Em termos da estrutura curricular, os cursos têm duração trimestral de modo a garantir a devida flexibilidade ao programa. As atividades curriculares dentro MP-EAM se desenvolvem durante 16 meses, sendo distribuídas em quatro fases, cujos períodos de duração e número máximo de créditos associados se seguem: Integração (7 dias, sem créditos), Formação Fundamental (4 meses e meio, até 13,5 créditos), Formação Específica (5 meses, até 15 créditos) e Estágio Profissional (5,5 meses, até 6 créditos).

Durante a Fase de Estágio Profissional os alunos, divididos em times de trabalho, desenvolvem projetos de aeronaves cujas especificações nascem dentro da própria Diretoria Técnica da EMBRAER. Concomitantemente ao Estágio Profissional, individualmente, cada aluno desenvolve uma Dissertação de Mestrado, cuja defesa é esperada ocorrer até o final do 24o mês após efetuada a matrícula. Na contagem dos 30 créditos totais do programa (mínimo exigido), existe a equivalência de 1 crédito para cada 16 horas-aula.

As orientações das Dissertações de Mestrado estão sob a responsabilidade de Professores Doutores do Corpo Docente do ITA, sendo as co-orientações feitas por Profissionais da EMBRAER, com qualificação compatível. Os temas têm origem na empresa e procuram ter tangência máxima com os projetos das aeronaves desenvolvidos durante o Estágio Profissional.

Em janeiro de 2009 o programa contava com 348 alunos matriculados. Além dos 243 alunos, em fase de dissertação e já absorvidos pela EMBRAER, havia 2 turmas em fase de aquisição de créditos. A primeira, de 48 alunos que iniciaram o curso em abril de 2008, estava no início da do Estágio Profissional e em fase de definição dos temas das dissertações. A segunda, de 57 alunos matriculados em setembro de 2008, se encontrava na primeira parte da fase de Formação Específica.

fonte: ITA / Guia do Estudante 

Leia mais...

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Close
Close
Close